Crescimento do PIB

Sem surpresa o desempenho do PIB no quarto trimestre e ao longo do ano passado. O crescimento chegou a 1% ao fim de 2017, depois de dois anos no negativo, impulsionado pela “super safra agrícola”, o que empurrou o setor agropecuário em 13%, acompanhada pelo lado da demanda, pelo Consumo das Famílias, avançando os mesmos 1%.

A taxa Agropecuária registrou o melhor resultado desde 1996 e respondeu por 70% no total do crescimento. Se não fosse esta alta, o PIB teria avançado apenas 0,2%. Por outro lado, cabe destacar que a participação do setor no PIB é bem pequeno, em torno de 4,5%, com a Indústria respondendo com 15% a 20% e os Serviços acima de 60%.

Contra o mesmo trimestre do ano passado, a expansão chegou a 2,1%, puxada pelo PIB Agropecuário, crescendo 6,1%, seguido pela Indústria (2,7%) e os Serviços (1,7%). Contra o trimestre anterior, o avanço foi “marginal”, de 0,1%. Cabe observar, neste contexto, que a trajetória do PIB mostrou alguma desaceleração ao longo do ano, influenciada pelo salto da agropecuária no 1º trimestre e sua perda de dinamismo nos trimestres seguintes.

Para 2018 continuamos acreditando num crescimento em torno de 3%, mais impulsionado pelo consumo das famílias, dada a inflação em baixa, recuperação da renda, juro mais baixo e maior oferta de crédito. Os investimentos devem começar a se materializar a partir do “clareamento” do cenário eleitoral. Lembremos que os investimentos recuaram 1,8% no ano, mas no quarto trimestre houve alguma reação, crescendo 2% contra o terceiro e 3,8% contra o mesmo trimestre do ano passado. Foi a terceira alta trimestral consecutiva na FBCF, ainda que sobre uma base paupérrima, o que lhe proporciona um carry over de 2,0% a 2,5% em 2018.

2018-03-06T13:03:49+00:00 Março 6th, 2018|

Leave A Comment